Exposição resultante da residência artística na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, realizada a partir do espaço recentemente adquirido para ampliação das suas instalações que inclui o antigo palacete da família Narciso e Azevedo (1879), a fábrica Fogões Meireles e a ilha de habitação a ela associada. Como um laboratório de experimentação visual em permanente atualização os ensaios fotográficos de Diana Carvalho, João Paulo Lima, Miguel Refresco e Nicole Tsangaris traduzem a singularidade deste espaço e refletem as vivências e transformações socioeconómicas que o definem, admitindo a sua montagem em diferentes escalas e tempos. Este tropismo fotográfico — a imagem do movimento de mutação deste espaço — permite decifrar as polaridades que o distinguem e evidenciar as contiguidades heterogéneas que o relacionam com a cidade. A residência artística decorreu entre os meses de novembro 2018 e abril de 2019.
Back to Top